SINDICATO DOS TRABALHADORES DE SERVIÇOS DE PORTARIA, VIGILÂNCIA, LIMPEZA, DOMÉSTICAS E ACTIVIDADES DIVERSAS

GREVE NACIONAL – 3. MARÇO - 3ª FEIRA
CONCENTRAÇÃO NACIONAL DE DENÚNCIA E PROTESTO CONTRA A EMPRESA DE VIGILÂNCIA PRIVADA COPS
• PELO PAGAMENTO DO SALÁRIO ATÉ AO ÚLTIMO DIA ÚTIL DO MES!
• PELO PAGAMENTO DO SUBSÍDIO DE ALIMENTAÇÃO ATÉ AO ÚLTIMO DIA ÚTIL DO MÊS!
• PELA ENTREGA DOS RECIBOS NO FINAL DO MÊS;
• PELO CUMPRIMENTO DA LEGISLAÇÃO LABORAL E DO RESPEITO PELO DIÁLOGO SOCIAL!
DIA NACIONAL DE LUTA - 3.MARÇO - 3ª FEIRA
DAS 10.30 HORAS ÀS 12.30 HORAS
LOCAL - DELEGAÇÃO COPS EM LISBOA - EDIF TEJO
RUA QUINTA DO PINHEIRO, Nº. 16 2º A, CARNAXIDE

LER NOTA AOS ORGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

stad bandeira

AOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS VIGILANTES DA

COPS

EXIGIMOS QUE OS NOSSOS SALÁRIOS

SEJAM PAGOS ATÉ AO ÚLTIMO DIA ÚTIL DO MÊS!

NÃO PODE SER, TRABALHAR SEM RECEBER!

COPS - DIA NACIONAL DE LUTA

3.MARÇO - 3ª FEIRA

  • GREVE (1 DIA) = 24 HORAS

  • CONCENTRAÇÃO DE DENUNCIA E PROTESTO

  • HORÁRIO - das 10h30 às 12h30

  • LOCAL - Delegação COPS em Lisboa – Edif. Tejo Rua Quinta do Pinheiro, nº16 2ºA, Carnaxide

VAMOS LUTAR PORQUE A COPS VIOLA A LEI, O CCT

E NÃO RESPEITA O DIÁLOGO SOCIAL COM O STAD!

A COPS É UMA EMPRESA FORA DA LEI!

LER COMUNICADO

Aos trabalhadores e trabalhadoras vigilantes da Provise nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira

O STAD convoca um plenário de trabalhadores(as) para decidirmos novas ações de luta!

O salário e o subsídio de alimentação continuam a não ser pagos no último dia útil de cada mês!

É vergonhoso e inaceitável, a Provise continua a não cumprir com as suas obrigações legais!

LER COMUNICADO AOS TRABALHADORES VIGILANTES DA PROVISE NOS AÇORES E DA MADEIRA

 

O STAD participa em audiência pública na Assembleia República, organizada pelo Bloco de Esquerda, para debater o tema segurança privada e transmissão de estabelecimento.

O STAD, representado por Rui Tomé, responsável do sector da vigilância privada, transmitiu a sua grande preocupação pela situação gravíssima existente no sector, devido à violação, pelas empresas associadas na associação patronal “AESIRF “, da norma legal prevista no artº 285 do Código do Trabalho “Transmissão de Estabelecimento” bem como com o incumprimento reiterado da cláusula do contrato colectivo de trabalho do STAD para o sector que trata da mesma matéria, a 14ª.

LER COMUNICADO

O STAD ALERTA:
Não se deve assinar nenhum documento, nem da nova empresa que suceda no teu local de trabalho (cliente), nomeadamente um novo contrato individual de trabalho, nem da STRONG CHARON, especialmente uma rescisão do contrato de trabalho.

O STAD JÁ SOLICITOU AO CLIENTE REFER-IP UMA REUNIÃO COM CARACTER DE URGÊNCIA

O STAD exige que, na mudança de empresa no cliente, sejam salvaguardados os direitos dos trabalhadores, principalmente a efectividade e a antiguidade!

LER COMUNICADO AOS TRABALHADORES VIGILANTES DA STRONG CHARON NO CLIENTE - REFER-IP

 

Pág. 1 de 16

Sede Lisboa

© 2018 STAD - Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Actividades Diversas